Você gosta muito do seu emprego mas no seu departamento ou divisão existe aquela pessoa a qual você está convencido que não deveria ocupar o cargo que ocupa, ganhar o que ganha, ou respirar o mesmo ar que você respira. Você já falou o que pensa sobre ele/ela com seus companheiros de trabalho e muitos concordam com você.  Você diz que vai fazer uma reclamação para a gerência ou RH e seus companheiros lhe dão a maior força (mas eles mesmo não o fazem). Você resolveu que vai fazer a reclamação, já bolou na cabeça o discurso, ensaiou em frente ao espelho e resolveu que seguirá adiante….

W-a-i-t !

Você precisa usar sua “Inteligência Emocional”

“Mas o que é isso?”

Inteligência emocional é a capacidade de reconhecer e entender emoções (tanto as suas quanto as de outras pessoas), e usar essa informação para tomar decisões.  Ter Inteligência Emocional é ter capacidade de sentir empatia e compaixão.

“Tá bom, mas essa pessoa no meu trabalho não merece minha empatia!” OK, vamos analisar:

Sua obrigação é solucionar problemas, e não cria-los

A última coisa que seu chefe quer é que você vá reclamar das pessoas.  Por que? Simples: no momento em que você faz uma reclamação pessoal pra ele, ele pensa que tem que reagir e fazer algo.  Mas aí você diz: “não precisa fazer nada, eu só estou desabafando”.  Por favor, chefe não é para desabafar. RH não é para desabafar. Desabafe com sua família, mas deixe os problemas pessoais do seu trabalho de lado.

Quanto mais você reclama dos outros, mais seu chefe forma uma opinião sobre você.

Evite dar opinião.  Ao invés disso, relate FATOS … sem opinião.  Deixe que seu chefe irá chegar a conclusão que você quer que ele chegue.  Mas quando você agrega o que você acha, a situação pode se inverter e seu chefe pode achar que você gosta de uma intriga.

Pergunte-se: devo realmente reclamar?

Cada vez que você tiver vontade de reclamar sobre alguém, faça essas 3 perguntas a si mesmo(a):

  1. É extremamente necessário eu falar sobre isso?
  2. É extremamente necessário que isso seja relatado por mim?
  3. É extremamente necessário que eu relate isso agora?

Dependendo das suas respostas, você saberá como reagir.  Assim, aos poucos, você começará a fazer uso de Inteligência Emocional para guiar suas reações no seu trabalho e verá que os que menos se pronunciam contra outros,  são os que mais tem sucesso profissional.  Esse será você.

Boa sorte!

Sobre Anna Schäfer

Anna Schäfer é Diretora de Conteúdo no Brasileirinho. Anna tem mais de 15 anos de experiência em Melhoria Contínua, Cadeia de Suprimento e Excelência Operacional com atuação extensiva na indústria de aviação. Anna é certificada em Six Sigma Black Belt pela American Society for Quality e também é auditora certificada pela SAI Global para o standard AS9110B. Além de certificações e experiência, Anna tem um MBA em Melhoria de Processos pela Nova Southeastern University e bacharelado em Relações Internacionais pela Florida International University. Para mais informações ou para entrar em contato, envie um email para: anna.schafer@brasileirinho.com.

1 Comment Leave a comment

  1. Daniel Lencioni July 11, 2016 Subscriber

    Muito bem lembrado Anna. Infelizmente a maioria das pessoas ainda não não se deu conta da importância da IE, ela é responsável por 58% do nosso desempenho no trabalho. QI, personalidade e a IE são qualidades distintas que todos nós possuímos. Juntos, eles determinam o modo como pensamos e agimos. As pessoas podem ser inteligentes, mas não emocionalmente inteligentes. Dos três, a IE é a única qualidade que é flexível e capaz de mudar.

Leave your comment